A Súbita foi criada em 2007 por um coletivo de jovens inquietos artistas com a intenção de fazer arte de um ponto de vista colaborativo, contemporâneo e autoral. De lá pra cá, a ideia e o formato do que um dia chamamos de coletivo se modificou um bocado e também já não somos tão jovens.

Buscando compreender os desafios de estarmos juntos, seguimos e, no caminho, encontramos pessoas incríveis e inspiradoras que ressignificam nosso olhar e nossas ações e nos impulsionam para o novo, para o desejo de estar em movimento, para o que ainda está por vir.

Os artistas da Companhia compartilham o interesse pela pesquisa teatral e pelo treinamento físico como fonte de inspiração, manutenção e aprofundamento da criação artística. Para nós, o trabalho colaborativo, a criação horizontal, a produção cultural e as ações do teatro de grupo podem revelar interesses particulares e gerar novas propostas de movimento coletivo.

Estamos comprometidos em manter o diálogo com diferentes expressões artísticas e estabelecer conexões com artistas, coletivos e companhias nacionais e internacionais. Valorizamos profundamente a abertura, a permeabilidade e o compartilhamento, pois entendemos estas práticas como modos potentes de criar relações, produzir arte e estar/ser no mundo.

Nestes 10 anos realizamos 09 espetáculos, 04 cenas curtas, 02 curta metragens, várias mostras, conversas e workshops. Poderíamos contabilizar também os inúmeros projetos que idealizamos, escrevemos e que nunca saíram do papel, que esperaram aprovação e captação e por muitas vezes se tornaram só lembrança de uma boa ideia.

Certamente é disso tudo que são feitas as trajetórias de grupos de teatro. De resistência, desistência, insistência, de imensa alegria e intensa frustração, de encontros, desencontros, acordos, desacordos, de chegadas e despedidas. É sobre escolher viver intensamente. E nós artistas sabemos desta escolha, experimentamos dia a dia a intensidade que a arte nos dá. E alimentamos este amor.

Cia_01_PB

Foto: Marco Novak

Integrantes

Os integrantes da Súbita Companhia de Teatro têm personalidade artística inquieta, mobilizadora e investigativa. A atriz Janaina Matter, a diretora Maíra Lour e a produtora Michele Menezes configuram a base de pensamento e gestão da Companhia e contam com a parceria de vários artistas associados no processo de pesquisa e criação dos trabalhos.

Janaina Matter

Atriz e diretora artística da Súbita Companhia de Teatro. Formada em Psicologia pela UTP/PR em 2002 e em atuação e direção pelos Cursos Livres de Teatro Pé no Palco. É cofundadora da Súbita Companhia, na qual atuou em todos os espetáculos.  Desde 2009 se dedica ao estudo da fisicalidade em cena e dramaturgia do gesto. Tem formação nos treinamentos Viewpoints, Suzuki e Composição de Cena, sob orientação de Anne Bogart e os integrantes da SITI Company (Nova York/EUA).  Em 2015 participará do treinamento intensivo com Tadashi Suzuki e a SCOT Company em Toga, Japão. Ministra oficinas e cursos de aprimoramento para pré-profissionais e profissionais do teatro e desenvolve pesquisa de orientação e direção de atores vinculada ao projeto Plataforma – núcleo permanente de pesquisa da Súbita Companhia, que acolhe artistas interessados em pesquisa cênica e treinamentos. Em 2014 compôs a Comissão Julgadora do Troféu Gralha Azul, 35ª edição em Curitiba, PR. Os espetáculos mais recentes criados pela Companhia incluem “Câmera Escura” (2014), “Extraordinário Cotidiano” e “Amores Difíceis” (2013), “Porque não estou onde você está”, pelo qual foi indicada ao Troféu Gralha Azul de melhor atriz em 2012. É também pesquisadora de interpretação para cinema e já integrou elenco de diversos curta-metragens, sendo os mais recentes “Coração de Congelador”, direção de Carol Winter 2014 e “Coração Magoado”, direção de Juliana Sanson em 2012.

Michele Menezes

Produtora cultural, publicitária (PUC-PR) e especialista em Comunicação Organizacional (USP). Atua em Curitiba há 14 anos. É sócia da Pró Cult, que elabora e executa projetos culturais para empresas, órgãos públicos e diversas companhias de teatro. Produz regularmente a Súbita Companhia, o Teatro de Breque e a Lasnoias & Cia, de São Paulo. Entre 2010 e 2013 foi parecerista técnica do Ministério da Cultura para projetos inscritos na Lei Rouanet. Em 2013 foi membro da Comissão Julgadora do Prêmio Troféu Gralha Azul e no segundo semestre de 2014 ministrou curso de produção no Curso de formação do Cena Hum, um dos cursos profissionalizantes mais reconhecidos de Curitiba.

Maíra Lour

Diretora Artística e fundadora da Súbita Companhia de Teatro desde 2007.  Arte Educadora no Espaço Pé no Palco e integrante-criadora do Núcleo de Pesquisa em Dança Contemporânea IMP – Investigação do Movimento Particular. Ministra oficinas em Teatro Físico, Composição de cena e preparação de atores. Orientadora do núcleo de pesquisa PLATAFORMA – workshops e residências artísticas da Súbita Companhia. Dedica-se aos estudos do corpo cênico; fisicalidade e interpretação em técnicas específicas como Viewpoints, Composition, Suzuki, dança contemporânea; criação colaborativa e dramaturgia do gesto. Indicada ao Prêmio Gralha Azul Melhor Direção por “Amores Difíceis” (2013); Participou da Mostra Conexões IMP com o solo “Para virar do Avesso” e “Parapeito”(2013); Indicada ao Prêmio Gralha Azul Melhor Direção por “Porque não estou onde você está” (2012); Participou do estágio de treinamento intensivo em Viewpoints, Composition e Suzuki pela SITI Company (NY) dirigido por Anne Bogart (2012); Foi bolsista em Estruturação Coreográfica na Casa Hoffmann na criação de “Utopias de Aproximação” (2012); Indicada ao Prêmio Gralha Azul Direção Revelação por “Coração de Congelador” (2010); Compôs a Delegação de Jovens Criadores das Américas no IV Festival TransAmérique Danse et Théâtre, Montreal – Canadá (2010); Diretora convidada – Festival Mujeres en Escena, Bogotá – Colômbia (2010); Participou do Festival Alternativo de Teatro, Bogotá – Colômbia (2009).

Arstistas Associados

Alexandre Zampier – ator, Vitor Schuhli – assistente de direção, Victor Hugo – assistente de produção, Beto Bruel – iluminador, Juliana Adur – direção de movimento, Tonio Luna – preparador de elenco, Helena Portela – atriz, Pablito Kucarz – Ator, Edith de Camargo – Musicista e Compositora, Carol Winter e Eli Firmeza – WTF?!filmes.