O espetáculo se debruça sobre ossos sem nome, mas que falam: e que insistem em existir nos corposdestaque-camera-escura daqueles que ficaram, os corpos dos filhos de uma geração marcada por um embrutecimento político que ecoa, até hoje, na maneira como nos relacionamos com o país e com nossas memórias. Câmera Escura é sobre alguém que desapareceu e a partir dessa ausência, sobre quem fica. Sobre as lacunas de uma história marcada por desaparecimentos e esquecimentos. Sobre a falta que nos move.

O projeto Câmera Escura foi realizado dentro das ações do Núcleo de Encenação SESI-Teatro Guaíra 2014 e teve como orientadores de pesquisa os encenadores Georgette Fadel, Roberto Alvim e Márcio abreu. Esta montagem é o resultado de um encontro potente entre a dramaturgia contemporânea de Carla Kinzo e Marcos Gomes e a pesquisa continuada de linguagem cênica da Companhia.

  • Mostra de Dramaturgia Sesi / Festival de Teatro de Curitiba – Teatro Guaíra, Teatro José Maria Santos, março/2014
  • Mostra Pé no Palco / Festival de Teatro de Curitiba  – Auditório Antônio Carlos Kraide (Portão Cultural), março/2014
  • Mostra de Dramaturgia Sesi – Teatro Guaíra, Teatro José Maria Santos, dezembro/2014
  • Dramaturgia: Carla Kinzo e Marcos Gomes
  • Direção: Maíra Lour
  • Elenco: Janaina Matter, Cleydson Nascimento, Helena Portela e Val Salles
  • Assistência de direção: Vitor Schuhli
  • Sonoplastia: Álvaro Antonio
  • Iluminação: Beto Bruel
  • Figurino: Felipe Custódio
  • Design Gráfico: Pablito Kucarz
  • Vídeos: Thiago Autran
  • Produção: Michele Menezes
  • Assistente de Produção: Victor Hugo
  • Realização: Súbita Companhia de Teatro

 

camera-escura-1