Outra palavra é uma dramaturgia realizada processualmente pela Súbita Companhia de Teatro, assinada por Francisco Mallmann. O trabalho parte de cinco palavras-conceitos que guiaram a realização da escritura dramatúrgica: território, fronteira, corpo, lugar e identidade. A ficção instaurada em Outra palavra articula cenas guiadas por cinco distintos territórios entrecruzados pela encenação – territórios, na dramaturgia, nomeiam tanto lugares ficcionais e fabulares, como possibilidades de leituras geográficas e espaciais.

A dramaturgia se desenvolve com a apresentação e verticalização de cinco territórios, que são cinco histórias independentes que se mesclam na encenação. No território 1, um desmoronamento acaba aproximando duas pessoas de um modo inusitado, e esse encontro se torna uma longa viagem. No território 2, dois primos se reencontram depois de muito tempo, fazendo surgir questões de origem e pertencimento. No território 3, uma deportação torna-se o motivo pelo qual três pessoas passam a se questionar sobre suas identidades. No território 4, o desconhecimento sobre a ditadura militar brasileira é revelado a partir da relação de duas irmãs. No território 5, quatro pessoas dividem um mesmo espaço tentando entender as possibilidades de um coletivo.

As reflexões mobilizadas se referem aos modos de vida contemporâneos, ao transbordamento de informações e imagens, às migrações mundiais, às formas sensíveis e estéticas das causas políticas e à investigação do que há por trás das palavras. A peça desenvolve as suas indagações a partir dos questionamentos envolvidos na elaboração de um discurso, como se incessantemente lançasse as perguntas: “o que nos faz falar? o que nos permite tomar a palavra?”.

  • Temporada Teatro José Maria Santos, Curitiba, julho/2018
  • Temporada de Estreia – Teatro Cleon Jacques, Curitiba, agosto/setembro/2017
  • Direção: Maíra Lour
  • Dramaturgia: Francisco Mallmann
  • Elenco: Álvaro Antonio, Cleydson Nascimento, Helena de Jorge Portela e Janaina Matter
  • Direção de Produção: Michele Menezes
  • Cenário: Pablito Kucarz
  • Cenotécnico: Felipe Gustavo Casagrande
  • Figurinos: Fabianna Pescara e Renata Skrobot
  • Luz: Beto Bruel e Raul Freitas
  • Sonoplastia: Álvaro Antonio
  • Assistente de palco: Joana Walter
  • Produção executiva: Gabriela Berbert
  • Interlocução artística: Lucienne Guedes e Adriano Basegio
  • Preparação vocal: Silvana Stein
  • Fotos: Olívia D’Agnoluzzo
  • Vídeos: WTF?!filmes
  • Designer gráfico: Pablito Kucarz
  • Comunicação: Ana Cristina Bostelmam e Marcos Romualdo dos Santos